quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

It's so hard for me to breathe.

- Então, fica combinado assim. Vai lá viver a vida, se sentir vontade de voltar, eu vô tá aqui.
- Eu vô, mas tô avisando que talvez não volte.
- Tudo bem, vai lá. Eu vô tá sempre aqui.
- Tchau.
- Tchau,
(...)
- A senhorita teve algum aborrecimento?
- Dei adeus.
- Mas a senhorita tava chateada?
- Não.
- Não?
- Não, pra ficar chateada eu precisava ter coração pra magoar. Mas ele levou.
- O Daniel, da 7 gotas de Revotril pra ela.
- Eu tô sem ar, não quero calmante, quero ar.
- Olha, Jéssica, eu, você, seu pai e possivelmente esse cara que tanto te magoa sabemos que seu ar só vai embora quando você tá muito mal.
- Não quero chapar, quero respirar. Revotril não.
- É melhor pra você.
- Melhor pra mim é ele vir aqui agora.
- Isso não é possível.
- É, eu sei. Se ligarem é capaz dele mandar vocês me matarem.
- Então, toma o Revotril e descansa, assim que amanhecer você volta pra casa.
- Eu não consigo respiraaaaaaaar. Tá difícil de entender?
- E você, tá difícil de entender que cara nenhum merece que você fique toda furada e passando madrugadas no hospital?
- Tá bom, cadê o Revotril?

Um comentário:

  1. acho que vou pedir um pouco de Retrovil de vez enquando. HAHAHAHAH

    ResponderExcluir